quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Zaqueu, o publicano: a mensagem de Lucas 19.1-10

Josivaldo de França Pereira



Esta é a história de um pequeno grande homem chamado Zaqueu. Um judeu morador de Jericó, a cidade mais importante da Palestina depois de Jerusalém. Zaqueu era maioral dos publicanos (chefe dos coletores de impostos a serviço de Roma) e rico. Por serem judeus a serviço de Roma, os publicanos eram tidos por seus compatriotas como traidores. Muitos publicanos ficavam ricos extorquindo seu próprio povo, razão pela qual eram chamados também de ladrões. Contudo, o nome “Zaqueu” significa “aquele que é justo”. Um motivo a mais para ele não ser benquisto pelo povo. Em suma, os publicanos eram personas non gratas, classificados pelos judeus como os maiores pecadores do mundo. Normalmente quando se falava em pecadores, os publicanos encabeçavam a lista (cf. Mt 9.10,11; 11.19; Mc 2.15,16; Lc 5.30; 7.34; 15.1). 
Enquanto Jesus atravessava a cidade de Jericó, Zaqueu procurou desesperadamente vê-lo. Mas não podia por causa da multidão. Sendo ele de pequena estatura subiu a um sicômoro. Uma árvore semelhante à amoreira, conhecida também como figueira brava. A despeito de sua posição social, Zaqueu não se importou nem um pouco em ser ridicularizado pelas pessoas, pois, afinal de contas, ele já estava acostumado com os insultos e afrontas dos outros. Todavia, Zaqueu não queria apenas ver Jesus, ele queria ver quem era Jesus. Tanto se ouvia falar de Jesus de Nazaré, líder de grandes multidões, poderoso em palavra e obras, que Zaqueu almejou conhecê-lo também. Zaqueu era muito esperto. Diante da dificuldade em ver Jesus, por causa da multidão que vinha em sua direção e de sua baixa estatura, ele não desistiu. Correu adiante dela, colocou-se estrategicamente no lugar onde Jesus passaria, subindo numa árvore e, assim, acabou ficando mais alto que todo mundo. Quando se tem determinação e força de vontade o impossível torna-se possível, o problema vira solução e a dificuldade uma porta para as maiores conquistas.
O esforço de Zaqueu valeu a pena. Ao se aproximar da árvore o Mestre parou, olhou para cima e disse: “Zaqueu, desce depressa, pois me convém ficar hoje em tua casa”. Que cena gloriosa! Jesus chamou o publicano pelo nome e lhe fez um convite inesperado. Nada indica na Escritura que Jesus foi informado por alguém da multidão que havia um publicano de nome Zaqueu em cima de uma árvore. Nosso Senhor não foi a Jericó por acaso. Do modo como um dia foi-lhe necessário passar por Samaria e evangelizar uma mulher junto ao poço de Jacó, certamente foi necessário que ele passasse por Jericó e nos presenteasse com uma das mais belas histórias da Bíblia, contada de geração em geração a adultos e crianças.
Jesus chamou Zaqueu pelo nome, e o fez com amor e ternura. Não foi o chamado da reprimenda e da crítica; não foi o chamado do juízo e da condenação. Foi o chamado de quem queria ser conhecido pelo pecador. Jesus chamou Zaqueu com urgência. A hora era aquela. O momento era agora. A oportunidade de salvação chegou e estava ali, bem diante de seus olhos. “Zaqueu, desce depressa, pois me convém ficar hoje em tua casa”. Zaqueu viu quem era Jesus, ouviu a sua voz chamando-o pelo nome e dizendo, ainda, que lhe convinha ficar hoje em sua casa. Que alegria! Quanta bênção na vida de um homem só!
Bastou Jesus falar uma única vez e Zaqueu desceu rapidamente da árvore. Tão importante quanto subir (ou mais) foi para ele a descida da árvore. Quando eu era criança gostava de subir em árvore. Eu me lembro que muitas vezes era mais fácil subir numa árvore do que descer dela. Era mais fácil subir depressa do que descer depressa. Para descer com segurança de uma árvore é preciso olhar constantemente para baixo, vendo onde pisa, sem pressa de alcançar o chão. Entretanto, Zaqueu desceu a toda a pressa, como um fruto maduro caindo em solo fértil. A alegria de Zaqueu foi indescritível e não era para menos. Jesus amou o homem mais odiado de Jericó. O Mestre se lembrou daquele que era esquecido por todos e trouxe para junto de si alguém desprezado pelos seus, pois todos os que viram aquela cena murmuravam, dizendo que Jesus se hospedara com homem pecador. O que dizer desses murmuradores? Eram pessoas que não conheciam a Deus. Não compreendiam o grande amor de Deus em Cristo Jesus que veio buscar e salvar o perdido. Não entendiam que Deus ergue do pó o desvalido e do monturo o necessitado. Ainda que Zaqueu fosse, materialmente, riquíssimo, espiritualmente ele era paupérrimo. Jesus trouxe para Zaqueu a razão do viver que o publicano nunca havia experimentado antes. Zaqueu teria paz, alegria e vida de verdade. Coisas que os murmuradores não têm.
O encontro de Jesus com Zaqueu resultou numa mudança profunda e permanente do publicano. Zaqueu se prontificou a fazer duas coisas. A primeira seria dar aos pobres metade de sua riqueza. A segunda atitude seria a de restituir quatro vezes mais alguém que, porventura, ele tivesse defraudado. Isso é o que teologicamente se denomina de conversão. A mudança de mente e de atitude quando somos alcançados pela graça maravilhosa do bondoso Deus. Só Jesus pode transformar uma vida. Quando ele alcança o nosso coração, mediante o chamado eficaz do Espírito Santo, nós nos tornamos (ou antes somos tornados) novas criaturas. A confissão de Zaqueu foi sincera. E Jesus, que conhece o íntimo do ser humano, pôde dizer: “Hoje, houve salvação nesta casa”.
Hoje é o dia aceitável para você também. Hoje é o dia da salvação! Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido.


19 comentários:

  1. Continue postando esse alimento que vem do Trono de Deus, Deus irá recompensá-lo, Ele honrrará quem tem compromisso com sua Palavra.

    ResponderExcluir
  2. Impactante essa história só o nosso maravilhoso Deus pra fazer tudo isso e mais um pouco que a graça a virtude o poder a unção sabedoria do todo poderoso esteja continuamente em ti deixa ele te usar sempre fica na paz

    ResponderExcluir
  3. Obrigado queridos pelo apoio e apreço.

    ResponderExcluir
  4. querido Pastor

    Pena que ao ler o texto vc se ateve justamente ao que é menos importante. Ora, o texto fala da Graça.
    Ao dizer: “Zaqueu, desce depressa” significa que de nada valeu o esforço de Zaqueu. Saiu para ver Jesus e descobriu que apesar de todo o seu esforço, já tinha sido visto e conhecido por Ele.

    Você prega as obras enquanto o texto fala de graça.

    ResponderExcluir
  5. Meu caríssimo e amado irmão do blog "Futebol e Humanidades", a graça de Deus não anula a responsabilidade humana, mesmo assim, você não percebe o mover de Deus em todos os atos de Zaqueu? Isso é "graça" meu irmão. Agostinho já dizia que nada é nosso exceto o pecado. Se existe algo de bom em nós; se há uma disposição positiva em alguém de querer ver a Jesus, isso é graça.
    Obrigado e continue postando seus comentários.
    Um grande abraço do pastor e amigo Josivaldo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. boa meu irmão que DEUS possa te abençoa cada vez mais e mais!!!

      Excluir
  6. Essa é uma das mensqagensmais linda do novo testamento..a salvação de zaqueu..sou pastor e lendo hoje essa mensaqgem sent no coração de pregala na minha igreja..é claro que o espirito santo dará uma nova revelqação...que DEUS O abençõe para continuar postando lindas mensagens bíblicas..pr.Cavalcante

    ResponderExcluir
  7. Graça e paz amado pastor Cavalcante.
    Muito obrigado por sua consideração e apreço. Que o bom Deus continue abençoando ricamente sua vida e ministério.

    ResponderExcluir
  8. Deus te abençoei muitíssimo, prezado pastor.O texto em questão nos mostra claramente que o nosso Senhor nos conhece pelo nome e conhece o desejo de nosso coração, Ele fez com Zaqueu e pode também agir nos dias atuais.Deus seja contigo.
    Celio Zupelo

    ResponderExcluir
  9. Glória a Deus amado irmão Zupelo. Só Jesus mesmo pra ter misericórdia da gente, não é?
    Obrigado e um forte abraço.

    ResponderExcluir
  10. pr Josivaldo gostei muito do que li, que deus possa está sempre te abençoando e te dando sabedoria paara escrever lindas mensagens como esa que acabei de ler a história do Publicano Zaqeu um abraço da irmã Marly

    ResponderExcluir
  11. Muito obrigado querida irmã Marly por seu apoio e apreço. Continue com a gente.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  12. Eita irmão esse pequeno estudo bíblico é uma verdadeira benção!!!

    ResponderExcluir
  13. grande mensagem gostei, fica com DEUS,acompanha esse, www.euqueroedeus.tk http://projetoeuqueroedeus.blogespot.com

    ResponderExcluir
  14. Obrigado querido.
    Um forte abraço do pastor e amigo Josivaldo.

    ResponderExcluir
  15. VEMOS QUE ZAQUEU SUBIU NA FIGUEIRA NÃO PRA VER JESUS,MAS PARA SABER QUEM ERA JESUS E O INTERESSANTE FOI QUE ELE NÃO SE EMPORTOU COM AS CRITÍCAS PELO FATO SER CHEFE DOS COBRADORES DE IMPOSTOS E TAMBÉM RICO,E POR SER UM HOMEM DE BAIXA ESTATURA E TINHA UMA MULTIDÃO MAS ELE SE ESFORÇOU PARA SABER QUEM ERA JESUS.

    ResponderExcluir
  16. Caríssimo Bruno, a Bíblia diz que Zaqueu "procurava ver quem era Jesus" (Lc 19.3).
    Grande abraço.

    ResponderExcluir