terça-feira, 8 de junho de 2010

O Pecado Imperdoável - Entrevista a Revista Eclésia

Josivaldo de França Pereira

1) O que é o pecado imperdoável?
O pecado imperdoável é o mesmo pecado da blasfêmia contra o Espírito Santo, conforme destacou o próprio Senhor Jesus, em resposta aos fariseus que murmuravam por causa da multidão que se admirava pela cura de um endemoninhado. Enquanto a multidão dizia maravilhada: “É este, porventura, o Filho de Davi?”, os fariseus retrucavam: “Este não expele demônios senão pelo poder de Belzebu, maioral dos demônios” (Mt 12.22-24). A expressão "blasfêmia contra o Espírito Santo" foi proferida somente por Jesus (Mt 12.31,32; Mc 3.28,29; Lc 12.10). O pecado imperdoável é conhecido também como "pecado para morte". Acredita-se que Hebreus 6.4-10; 10.26,27 e 1João 5.16 referem-se a esse tipo de pecado.


2) Alguns estudiosos afirmam que esse pecado seria atribuir a Satanás alguma obra de Deus. Porém, Jesus diz que ele não tem perdão. Nesse caso, caso a pessoa se equivoque, mesmo que se arrependa depois, nunca mais terá perdão?


De fato, conforme afirmam alguns estudiosos, o pecado imperdoável é "atribuir as coisas boas de Deus a um ato de Satanás" (Burge); "atribuir os milagres de Cristo à influência de Satanás" (Davis); "a rejeição deliberada e consciente da atividade de Deus, e a atribuição desta atividade ao diabo" (Davids). E isso acontece quando "o homem voluntária, maliciosa e intencionalmente atribui o que com clareza se reconhece como obra de Deus, à influência e operação de Satanás" (Berkhof); "um homem reconhece a missão de Jesus pelo Espírito Santo, mas a desafia, a amaldiçoa e a ela resiste" (Grundmann); "a incredulidade procede de conhecimento e da malícia deliberada" (Calvino). As afirmações desses renomados estudiosos estão respaldadas no próprio ensino de Jesus que disse que atribuir deliberadamente a Satanás uma obra que se sabe ser de Deus é pecado imperdoável. Os fariseus sabiam que a obra que Jesus realizava era de Deus, como disse Nicodemus a Jesus (Jo 3.1,2) e o ex-cego relembrou os próprios fariseus (Jo 9.31,33).
Se você é crente em Cristo Jesus e está preocupado se, porventura, já cometeu esse tipo de pecado, pode estar certo de que nunca o praticou; pois aquele que blasfemou contra o Espírito Santo nunca, enquanto viver, se arrependerá do seu pecado, visto que jamais sentirá o desejo de confessá-lo.


3) Quais são os maiores erros de interpretação dessa passagem?


Alguns dos principais erros em relação a essa doutrina é entender o pecado imperdoável como a "rejeição do evangelho" ou a "recusa da graça de Deus em Cristo Jesus" e que, por sua vez, "pode e deve ser corrigido", ou que "o pecado imperdoável torna-se perdoável através da conversão". O Senhor Jesus foi taxativo ao afirmar que esse tipo de pecado jamais seria perdoado, nem neste mundo nem no porvir. Quem o comete “é réu de pecado eterno” (Mc 3.29; cf. Mt 12.22-32). Em suma, a blasfêmia contra o Espírito Santo não é uma "rejeição", mas sim, uma "atribuição", isto é, atribuir de modo consciente e deliberado uma obra a Satanás quando na verdade sabe-se que é de Deus.


4) Por que pecar contra o Espírito não tem perdão, mas contra o Pai e o Filho tem?


Pecar contra o Espírito Santo é pecar contra Deus. É atribuir a Satanás a obra que é do Pai e do Filho. No entanto, nem todo pecado que se comete contra o Espírito Santo é pecado imperdoável (At 7.51; Ef 4.30). Bem como nem todo pecado que se comete contra o Pai e o Filho é perdoável. Quem insiste na prática do pecado, rejeitando a Jesus Cristo por toda a sua vida, certamente perecerá em seus próprios pecados (cf. Jo 3.18; 1Co 6.9,10; Ap 21.8). Sabemos que toda iniquidade é pecado (cf 1Jo 3.4), porém, existem graduações de pecado (cf. Lc 12.47,48). O pecado em consideração é o grau mais elevado de pecado que alguém pode cometer. Mas por que a blasfêmia contra o Espírito Santo é imperdoável e contra o Filho não é? (cf. Mt 12.32; Lc 12.10). Aqui entramos no mistério da Trindade e num campo que foge à compreensão humana. Sabemos que o Pai, o Filho e o Espírito Santo é o mesmo Deus. Contudo, a soberania divina determinou que não houvesse perdão à blasfêmia cometida contra a pessoa do Espírito Santo.


5) Como posso identificá-lo?


O pecado imperdoável é um tipo raro de pecado, difícil de ser identificado, pois quem comete esse pecado o faz deliberadamente contra o próprio Deus. Não é pecado contra o próximo e com ele compartilhado. Eu diria que somente Deus pode identificar o pecado imperdoável.

3 comentários:

  1. Obrigada Senhor por me atrair aos Teus caminhos

    ResponderExcluir
  2. Olá! Amado Pr. Josivaldo, Graça e Paz...

    Maravilho pensamento, e também as interpretações, deste tema, de tão difícil compreensão “O pecado contra o Espírito Santo". O senhor tem toda razão, o pecado imperdoável, trata-se de um pecado raro, que só foi possível ser identificado pelo próprio Senhor Jesus no exercício do seu ministério. Podemos entender assim: A obra e de Deus, O instrumento neste caso é Jesus, mas o poder vinha do Espírito Santo. Onde o próprio Jesus disse: Mas, se eu expulso os demônios pelo Espírito Santo de Deus, é conseguintemente chegado a vós o Reino de Deus. Podemos dizer assim, que a soberania de Deus, que não pode ser contestada por ninguém, foi contesta na obra do Espírito Santo. Por isso se tornou imperdoável. "Ajudei ou complique mais?"
    Perdão irmão, é só desejo de participar.

    Deus abençoe ricamente a sua vida e o seu ministério, em nome de Jesus...

    ResponderExcluir
  3. Amado Presb. Fabio,
    a Palavra de Deus é viva e eficaz mas não podemos ir além do que ele nos revela.
    Que o Senhor Jesus Cristo continue abençoando ricamente a vida do nobre e dileto irmão.

    ResponderExcluir