quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Bênçãos Naturais: Fruto da Graça Comum

Josivaldo de França Pereira


Um dos principais frutos da graça comum[1]são as muitas bênçãos naturais que os seres humanos recebem nesta vida presente. Quanto a esse fruto em particular, a graça comum pode ser definida como aquelas bênçãos gerais, como a chuva e o fulgor do sol, o alimento e a bebida, a vestimenta e o teto, as quais Deus concede a todas as pessoas sem relutância ou discriminação.
Embora muitos faça pouco caso das bênçãos de Deus, ainda assim eles recebem abundantes provas da bondade do Senhor todos os dias, mesmo que eles não sejam eficazmente chamados para a salvação. Há várias passagens bíblicas revelando que Deus derrama suas bênçãos sobre todas as pessoas sem exceção, isto é, sobre justos e injustos, eleitos e não eleitos, como por exemplo: Gn 17.18,20; 39.5; Sl 36.6; 145.9,15,16; Jn 4.10,11; Mt 5.44,45; Mc 8.2; Lc 6.35,36; At 14.16,17; 1Tm 4.10. Essas dádivas vêm como bênçãos não só para os bons, mas também para os maus.
Alguns entendem que o propósito da graça comum é tornar os réprobos e malvados indesculpáveis perante o Senhor. Contudo, a palavra “graça” (charis, em grego) por definição significa “bênção imerecida”, livremente concedida ao ser humano por Deus. Portanto, o propósito divino na graça comum é tão somente o de abençoar a todos. A graça comum, em si, não torna o pecador indesculpável. É o pecador que se autocondena quando rejeita o Deus da graça que se revela em sua criação (cf. Rm 1.20).
Jesus ensinou que até o inimigo devemos amar (Mt 5.44). E ilustrou dizendo que o Pai celeste “faz nascer o seu sol sobre maus e bons e vir chuvas sobre justos e injustos” (Mt 5.45). O Salmo 145.9 diz que “O Senhor é bom para todos”. Nisto consiste a graça comum de Deus: os maus recebem o mesmo tanto de sol e chuva que os bons. Semelhantemente, Deus não é menos gracioso quando os bons são afetados pelas tragédias e calamidades naturais. “Ocorrem períodos de seca e falhas na lavoura, porém Deus não abandona a sua criação. Ele sempre providencia produção agrícola para sustentar tanto os seres humanos quanto os animais”.[2] Deus não somente fornece bastante alimento para toda a sua criação, mas também enche o coração do ser humano de alegria (cf. At 14.17). Mesmo se o pecador negligencia ou se recusa a expressar ação de graças por todas as bênçãos de Deus, ainda assim o Senhor sacia o coração do pecador de prazer e contentamento.[3]
A Bíblia ensina com clareza que Deus derrama bênçãos indizíveis sobre todas as pessoas, portanto, é insustentável a afirmação de que Deus nunca abençoa aos réprobos, ainda que lhes dê muitas dádivas (como sol e chuva) que são boas em si mesmas. Contudo, em Gênesis 39.5 lemos que “... o SENHOR abençoou a casa do egípcio por amor de José; a bênção do SENHOR estava sobre tudo o que tinha, assim em casa como no campo”. Em Romanos 12.14 Paulo exorta: “abençoai os que vos perseguem, abençoai e não amaldiçoeis”. Isto só pode significar uma coisa: Deus também abençoa aos que o maldizem (cf. Lc 6.35,36; Rm 2.4).[4]
Por que os maus e injustos são agraciados por Deus com toda sorte de bênçãos naturais? Porque Deus é amoroso, benigno e misericordioso (Mt 5.44,45; Lc 6.35,36; At 14.17).


[1] Para outros frutos da graça comum, consulte Louis Berkhof, Teologia Sistemática. 7ª Ed. Espanhola. Grand Rapids: T.E.L.L., 1987, p. 526-528.
[2] Simon Kistemaker, Comentário do Novo Testamento: Atos. Vol. 2. São Paulo: Cultura Cristã, 2006, p. 34.
[3] Ibidem. V. t. Guillermo Hendriksen, Comentário del Nuevo Testamento: El Evangelio Según San Mateo. Grand Rapids: SLC, 1986, p. 329.
[4] Cf. Berkhof, op. cit., p. 528,529.

2 comentários:

  1. Benção de palavra da parte de Deus. É lindo ver a graça de Deus sobre nossas vidas. E o nosso dever é apenas crer e adorar!

    Deus lhe abençoe!

    ResponderExcluir
  2. É isso aí Fillip, o nosso Deus é tremendo! Obrigado por seu carinho e apreço. Continue postando seus preciosos comentários.
    Que Deus o abençoe mais e mais.

    ResponderExcluir