sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Jó: Paciente ou Perseverante?

Josivaldo de França Pereira


Duas das principais versões da Bíblia em português, Almeida Revista e Atualizada (ARA) e a Nova Versão Internacional (NVI), traduzem o texto de Tiago 5.11 assim:
“Eis que temos por felizes os que perseveraram firmes. Tendes ouvido da paciência de Jó e vistes que fim o Senhor lhe deu; porque o Senhor é cheio de terna misericórdia e compassivo” (ARA);
“Como vocês sabem, nós consideramos felizes aqueles que mostraram perseverança. Vocês ouviram falar sobre a perseverança de Jó e viram o fim que o Senhor lhe proporcionou. O Senhor é cheio de compaixão e misericórdia” (NVI).[1]
Paciência e perseverança são palavras distintas que podem ser definidas do seguinte modo: “Paciência” – “sf. 1. Qualidade de quem sabe esperar. 2. Virtude de quem sabe suportar dores, infortúnios, etc., com resignação”.  “Perseverança” – “sf. Qualidade ou procedimento de perseverante; pertinácia, constância, firmeza” (Aurélio).
Jó foi paciente ou perseverante em meio à provação? As traduções da Bíblia favoreceram a proverbial “paciência de Jó”, contudo, a melhor tradução da palavra hypomonen em Tiago 5.11 é “perseverança”. Jó dificilmente poderia ser denominado de “homem paciente”. O profeta Ezequiel menciona Jó junto com Noé e Daniel, porém, conforme bem observa Kistemaker, “o profeta ressalta não a paciência, mas a retidão, como a virtude característica de Jó (Ez 14.14,20)”.[2] Diz ele ainda: “Mesmo no Livro de Jó, a paciência não é uma das virtudes excepcionais de Jó. Ele deixa transparecer sua impaciência quando amaldiçoa o dia de seu nascimento (3.1) e quando diz que os longos discursos de seus três amigos não têm fim (16.3)”.[3]
Além disso, por mais de trinta vezes Jó ergue aos céus sua queixa contra Deus, de maneira nada suave. Ele se sente entrincheirado por Deus (3.23); diz que foi atingido pelas flechas venenosas de Deus (6.4); chama Deus de espreitador dos homens (7.19-21); acusa Deus de ser insensível à sua oração e à sua dor (Jó 9.16-18); queixa-se do silêncio de Deus diante da sua terrível angústia (10.2); queixa-se também de ser oprimido sem causa (10.3-9); de não ser perdoado (10.14); acusa Deus de precipitar contra ele males sem fim (10.17) e de não lhe ter permitido morrer no ventre de sua mãe só para deixá-lo sem alento (10.18-22). No seu desespero chega a dizer que os que provocam a Deus é que estão seguros e que os tiranos é que gozam a paz, mas o justo e o reto servem de irrisão para os seus amigos (12.4-6); acusa Deus de estar irado incessantemente contra ele (14.13) e de ter destruído toda a sua família (16.7); atribui a Deus a sua magreza (16.8); sente-se desprezado por ele (16.9) e diz ainda que Deus o entregou nas mãos dos ímpios (16.10,11); levanta a sua queixa de que Deus o agarrou pelo pescoço, tirou a sua paz e o crivou de flechas (16.12,13); afastou dele a sua família e jogou contra ele os seus irmãos, parentes e criados (19.13-16). Jó derrama a sua lamentação contra Deus ao ver a prosperidade e a paz dos perversos sem que Deus os castigue, enquanto ele próprio é afligido (21.4-15); ao mesmo tempo, declara que Deus tirou o seu direito e amargurou a sua alma (27.2); acusa Deus de não guardá-lo mais, não guiá-lo, não ser mais seu amigo, nem estar mais ao seu lado, como nos tempos de outrora (29.2-6). Jó acusa Deus de ter afrouxado a corda do seu arco (30.11) e de tê-lo jogado na lama (30.19). Jó finalmente acusa Deus de não se apresentar para responder às suas queixas (31.35).[4]
Qual o legado de Jó na provação? “Embora Jó tenha reclamado amargamente do tratamento que lhe foi dado por Deus, ele nunca abandonou sua fé; no meio da incompreensão, ele se apegou em Deus e continuou a esperar nele (cf. Jó 1.21; 2.10; 16.19-21; 19.25-27)”.[5] “Deus abençoou Jó por causa de sua fé perseverante”.[6]

“Como vocês sabem, nós consideramos felizes aqueles que mostraram perseverança. Vocês ouviram falar sobre a perseverança de Jó e viram o fim que o Senhor lhe proporcionou. O Senhor é cheio de compaixão e misericórdia.”
 (Tg 5.11, NVI)


[1] Das oito versões da Bíblia em português que tenho em mãos, cinco delas (Almeida Revista e Atualizada, Edição Revista e Corrigida, Edição Revisada, A Bíblia na Linguagem de Hoje e a Edição Alfalit Brasil), traduzem a expressão grega “hypomonen Iob” de Tiago 5.11 como “paciência de Jó”; duas delas, a Nova Versão Internacional e a Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas, dizem “perseverança de Jó”, e a Bíblia Viva interpreta: “Jó é um exemplo dum homem que continuou a confiar no Senhor no sofrimento”.
[2] Simon J. Kistemaker, Comentário do Novo testamento: Tiago e Epístolas de João. São Paulo: Cultura Cristã, 2006, p. 230.
[3] Ibidem.
[4] Cf. Hernandes Dias Lopes, Restauração sim, explicação nem sempre. São Paulo: Hagnos, 2009, p. 41-44.
[5] Douglas J. Moo, Tiago: introdução e comentário. Série Cultura Bíblica. São Paulo: Mundo Cristão/Vida Nova, 1990, p. 171.
[6] Kistemaker, op. cit., p. 230.

6 comentários:

  1. Saudações pastor Josivaldo!
    Meu nome é Charles e sou de uma determinada igreja evangélica e estou vivendo um momento de indagações, gostaria de um auxílio, se puder me passe seu email, o meu é desenhos37@hotmail.com aguardo...

    ResponderExcluir
  2. Graça e paz amado.
    Estou aguardando seu contato.
    Abs.
    Pastor Josivaldo.
    josivaldofpereira@hotmail.com

    ResponderExcluir
  3. Aprendendo a ser paciente com Jó

    Partindo do princípio que Tiago foi inspirado por Deus, e por isso, a sua carta se encontra nas Escrituras, a hermenêutica me ensina a fazer a seguinte pergunta: Com que intenção o autor usou a expressão "hypomene" no contexto em que o mesmo usa Jó como exemplo de paciência?

    O vocábulo grego "hypomene" significa: persistência ou tolerância.

    Vamos examinar o contexto e verificar em que sentido o autor usou essa expressão:

    1. O autor exorta a igreja a ser paciente até a vinda do Senhor (Tg. 5.7). A paciência aqui tem o sentido de SUPORTAR(tolerância) uma situação de injustiça e ESPERAR (persistência) a vinda de Cristo, de acordo com os textos (Tg. 5.1-6).

    2. O autor usa como ilustração o agricultor como exemplo de alguém que espera com paciência, isto é, alguém que está esperando o tempo das chuvas (Tg. 5.7). A paciência aqui retrata alguém que SUPORTA o sofrimento enquanto ESPERA o tempo das chuvas.

    3. O autor pela segunda vez ordena a igreja a ser paciente, pois a vinda do Senhor está próxima, razão pela qual a igreja deveria esperar em meio aos sofrimentos da vida (Tg. 5.8). Posso afirmar que aqui está o âmago do contexto, onde o autor deixa claro para os seus leitores que a segunda vinda de Cristo deve ser a causa da nossa paciência, ou seja, ESPERAR E SUPORTAR OS SOFRIMENTOS até a vinda de Cristo.

    4. O autor instruiu a igreja a evitar as queixas, pois o Juiz já está às portas, dando com isso a ideia de que a igreja deveria SUPORTAR as falhas alheias e ESPERAR o julgamento divino.

    ResponderExcluir
  4. 5. O autor usa também os profetas como exemplos de paciência, ou seja, homens que SUPORTARAM as perseguições dos seus compatriotas (Tg. 5.10) e que ESPERARAM a justiça de Deus (Tg. 5.11b).

    6. E por fim, o autor usa Jó como terceiro exemplo de alguém que SUPORTOU o sofrimento e esperou a justiça de Deus (Tg. 5.11), bom pelo menos é o que posso concluir quando o autor diz sobre o fim que Deus lhe proporcionou, isto é, dando em dobro tudo o que ele perdeu (Jó 42.10).

    O que eu acho interessante é o comentário que Deus faz a respeito de Jó para os seus amigos depois que Jó disse tudo que disse. Vejamos:

    "Depois que o Senhor disse essas palavras a Jó, disse também ao Elifaz, de Temã: "Estou indignado com você e com os seus dois amigos, pois vocês não falaram o que é certo a meu respeito, como FEZ MEU SERVO Jó. Jó 42:7, e tem mais:

    Vão agora até meu servo Jó, levem sete novilhos e sete carneiros, e com eles apresentem holocaustos em favor de vocês mesmos. Meu servo Jó orará por vocês; eu aceitarei a oração dele e não farei com vocês o que vocês merecem pela loucura que cometeram. Vocês não FALARAM o que é certo a meu respeito, como FEZ meu SERVO Jó". Jó 42:8
    O texto bíblico deixa bem claro que Deus aprovou o que Jó falou.

    O que foi que os amigos de Jó falaram que não agradou a Deus, e o que foi que Jó falou que Deus aprovou, já que alguns argumentam que ele falou tantas coisas que podem passar a idéia de que ele foi impaciente?

    Talvez o que chama a atenção de muitos comentaristas e estudiosos da Palavra de Deus seja o fato de Jó ter falado tantas coisas para Deus e sobre Deus. Entretanto, o que chamou a atenção de DEUS, e isso é o que tem relevância em todo o livro de Jó, foi o fato de Jó ter sofrido e ter falado muitas coisas, mas depois de ouvir a voz de Deus, reconhecer a soberania de Deus (Jó 42.2), confessar que falou coisas que não entendia (Jó 42.2b), recitar o que Deus falou (Jó 42.3), dizer que estava enxergando Deus diante do sofrimento e depois de ouvi-lo (Jó 42.4), e por fim se humilhar e se arrepender do que fez ainda em sofrimento.

    ResponderExcluir
  5. É importante ressaltar que toda essa experiência que Jó teve com Deus foi em meio ao sofrimento. O sofrimento dele só terminou depois que ele ouviu a voz de Deus e orou pelos seus "amigos" (Jó 42.10)

    Bom, pra mim alguém que em meio ao sofrimento faz tudo isso que Jó fez, só pode ser paciente.

    Outra coisa que os comentaristas esquecem de falar é que em meio as suas falas, suas crises, suas indagações e suas pré-avaliações, Jó disse:

    "Eu sei que o meu Redentor vive, e que no fim se levantará sobre a terra. E depois que o meu corpo estiver destruído e sem carne, verei a Deus. Eu o verei, com os meus próprios olhos; eu mesmo, e não outro! Como anseia no meu peito o coração! Jó 19:25-27

    Peço por gentileza que examinem todo o capítulo 19 e confirmem o que eu disse.

    Então eu pergunto: Será que Jó não foi paciente nos dois sentidos que SIGNIFICA a palavra "hypomene", isto é no sentido de suportar o sofrimento (tolerância) e de esperar em Deus (persistência)?

    Eu até concordaria que Jó não foi paciente se não tivesse nas Escrituras os textos Jó 19.25-27; Jó 42.1-8 e (Tg. 5.11).

    Quantos crentes hoje que como Jó, reconheçem a soberania de Deus, confessam que falaram o que não sabiam sobre Deus, recitam as Palavras de Deus, dizem que só conheciam Deus de ouvir falar e que agora o enxergam em meio ao sofrimento depois de ouvi-lo? Além disso, Quantos que se humilham, se arrependem do que fizeram, e oram pelos seus acusadores? Só alguém que é paciente que faz algo semelhante.

    A PACIÊNCIA DE JÓ se revelou quando o mesmo exaltou a soberania de Deus, se humilhou e se arrependeu quando ainda ESTAVA SOFRENDO.

    FOI ISSO QUE AGRADOU O CORAÇÃO DE DEUS E É ISSO QUE O AGRADA HOJE.

    O que eu vejo hoje é um monte de gente que não tem paciência quando sofre. Que não suporta a dor, a perda, a injustiça. E, que em vez de esperar em Deus a sua salvação o abandona. Razão pela qual temos mais desviados do que crentes hoje.

    Irmãos, sejamos pacientes como o agricultor, como os profetas do passado e como Jó, que suportaram o sofrimento(tolerância) e que esperaram em Deus (persistência).

    "Sejam também pacientes e fortaleçam o coração, pois a vinda do Senhor está próxima".
    Tiago 5:8

    Igreja, suporte os sofrimentos (tolerância) e espere a vinda do Senhor (persistência)!

    É o que está Escrito!

    esta foi a resposta que obtive do meu pastor Renato corumbá quando questionei a paciência de Jó baseado em sua publicação.

    ResponderExcluir
  6. Quando ouvia falar sobre a paciência de Jó, sempre tive a sensação de que ele nunca murmurou contra Deus. Depois que tive o próprio conhecimento lendo a bíblia, também cheguei a conclusão de que Jó não foi tão paciente assim. De grande importância foi quando surgiu Eliú acusando Jó de falar injustamente de Deus e então o próprio Deus responde a Jó e mostra-lhe sua sabedoria e grandeza. Quem somos nós para duvidar de Deus? Contudo, Jó orou pelos seus amigos mesmo ainda estando enfermo e não negou. Foi a partir daí que Deus conferiu a Jó o dobro de prosperidade que antes tinha.

    A PAZ DO SENHOR A TODOS!

    ResponderExcluir