segunda-feira, 1 de novembro de 2010

O Espírito Santo, Missões e a Igreja Brasileira

Josivaldo de França Pereira


O Espírito Santo é eminentemente missionário e a missão da igreja no mundo é participar da missão do Espírito.

Esta declaração nos deve conduzir a uma reflexão séria, principalmente porque hoje, mais do que nunca, a sociedade brasileira necessita de uma mensagem evangélica confrontadora. O que não significa dizer que ela queira necessariamente ser tocada em suas feridas; porém, à luz da Bíblia, não podemos oferecer às pessoas um evangelho paliativo e barateado como temos visto hoje em dia. O cristianismo puro e simples (para usar o título em português do livro de C. S. Lewis) precisa ser a mensagem pregada e o estilo de vida de todo homem e de toda mulher salvos em Cristo.

É triste constatar o tipo de evangelho enganador que está sendo anunciado atualmente. Um evangelho descomprometido da ética cristã e da santidade de vida. Um evangelho falsificado que propõe atalhos ao invés do verdadeiro caminho. No meio artístico, por exemplo, ouve-se falar daquele e daquela como os mais novos irmãos na fé; entretanto, aqui e ali ficamos sabendo dos escândalos que esses "irmãos" cometem. Não negamos que haja conversões autênticas entre os artistas, porém, é preciso o quanto antes que o verdadeiro evangelho, com todas as suas implicações para a igreja e a sociedade, seja resgatado em nosso meio. É necessário que "o sal da terra" e "a luz do mundo", a igreja de Jesus Cristo, ofereça, mediante o evangelho da verdade, a verdadeira vida para todo aquele que perece em seus próprios pecados. E isso só acontecerá quando a igreja proclamar o evangelho de poder e no poder do Espírito, visto que ela também precisa enxergar além de si mesma, de sua institucionalização e de seus paradigmas obsoletos.

Além disso, em se tratando da apresentação do evangelho ao povo brasileiro, a igreja evangélica, não raramente, tem ido ou para o extremo da mensagem desencarnada, distante da realidade cotidiana do povo, mediante a apresentação de um evangelho transcendente que alcança as estrelas mas esquece da terra; ou tem, por outro lado, oferecido Jesus Cristo às pessoas como se ele fosse um produto de consumo à disposição nas prateleiras do mercado eclesiástico. Outras vezes apresenta-se Cristo no melhor dos estilos "fada madrinha". Em nome dele promete-se ao povo casa, carro, dinheiro; enfim, toda sorte de prosperidade. Cremos sinceramente que Cristo pode dar tudo e até mais do que é prometido ao povo em termos de prosperidade; contudo, não podemos perder de vista as implicações e exigências do evangelho autêntico. As pessoas não devem ser confrontadas somente em termos de: "Você não conseguiu? Venha para Jesus que você consegue", mas sim, encaradas como pecadoras que precisam urgentemente da graça redentora.

E por que precisamos nos preocupar com isso? Justamente porque a sociedade brasileira carece do evangelho que esteja encarnado na vida dos crentes e na vida dela mesma. Um cristianismo integral, como expressão de vidas santificadas e consagradas ao Senhor, é o que realmente impactará nosso país e o mundo. Cristianismo integral é a manifestação viva daquilo que dizemos acreditar. Paulo é um exemplo fabuloso de compromisso com a verdade do evangelho. Ele nunca a comprometia. Podia como poucos ser imitado como imitador de Cristo. Semelhantemente o povo brasileiro precisa ver na igreja de hoje pessoas que vivam o que dizem crer. A prática é a expressão do que acreditamos. Se não praticamos o que dizemos, então a nossa pregação não passará de retórica evangélica desqualificada.



Nenhum comentário:

Postar um comentário