quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Implicações da Vida Eterna para o Povo de Deus

Josivaldo de França Pereira


Quais as implicações práticas da vida eterna para a igreja evangélica brasileira? Consideremos três aspectos:

Em primeiro lugar, é preciso uma reflexão séria e responsável do papel da igreja na sociedade. Somos salvos para fazer a diferença através de uma postura ética, de valores que manifestem nitidamente a diferença que a vida eterna faz no meio e através do povo de Deus. A natureza da vida eterna, expressa no conhecimento de Deus e de sua verdade, deve levar a igreja a experimentar a renovação de vida que começa aqui e agora. A vida só tem sentido quando é vivida na presença de Deus com responsabilidade. Para isso, a igreja precisa viver o evangelho integral de nosso Senhor Jesus Cristo.

Em segundo lugar, a vida eterna deve nos levar a uma atitude prática em relação ao destino futuro dos justos e dos injustos. O que significa o céu para os crentes? O que quer dizer viver para sempre? Estamos preparados? A igreja do Senhor está pronta? Você está preparado para se encontrar com Deus? Está certo que tem a vida eterna? E o que dizer daqueles que estão indo para o inferno? Até onde somos culpados pelo destino eterno dos pecadores? Essas indagações não devem ser menosprezadas. É necessária uma reavaliação de conceitos e uma ação salvífica urgente da igreja no mundo.

Em terceiro lugar, temos que levar em consideração a razão de ser de uma vida eterna. De um lado temos o propósito imediato, isto é, somos salvos porque Deus nos ama e quer nos ajudar. Do outro lado há o propósito final da vida eterna: a glória de Deus. Glorificar a Deus deveria ser o maior desejo do cristão. Viver como Deus quer é viver para a sua honra e glória. Infelizmente, muitas vezes a glória de Deus não tem sido, na prática, a maior preocupação do povo de Deus. A busca do bem-estar tem ocupado com muita frequência o lugar de uma vida obediente e submissa à vontade de Deus. Certamente Deus abençoa o seu povo e se deleita nisso, porém, somente quando ele ocupa o primeiro lugar em nosso coração.

Se agradarmos a Deus, não como pessoas interesseiras, mas como verdadeiros crentes interessados em sua pessoa, e se o amarmos nem tanto por aquilo que ele vai nos dar, mas principalmente por aquilo que ele é, com certeza a vida eterna que de Deus recebemos será a expressão de louvor no dia-a-dia de pessoas que verdadeiramente amam e glorificam ao Senhor.

Um comentário:

  1. A vida eterna é um destino de todos que nascem a diferença é. Onde vai passar sua eternidade.

    ResponderExcluir