quinta-feira, 2 de junho de 2011

O Acrisolamento de Deus


Josivaldo de França Pereira

Em Provérbios 17.3 está escrito: “O crisol prova a prata, e o forno, o ouro; mas aos corações prova o SENHOR”. O crisol é um vaso de fundir metais, como prata e ouro. Do modo como o fogo prova a prata e o ouro a fim de purificá-los, Deus prova os corações, isto é, o íntimo do nosso ser.
As provações de Deus são testes de “fogo” para o nosso aperfeiçoamento espiritual. Uma experiência necessária a todos os filhos e filhas de Deus que inclui: perseguição, aprisionamento, opróbrio, pobreza, enfermidade, aflição e tristeza de alma. É uma experiência necessária porque, por meio dela, Deus se agrada de nós e glorifica o seu santo nome. Provados conhecemos melhor a nós mesmos e a bondade do nosso Deus.
Ainda que a provação em si seja algo difícil e desagradável, o resultado dela é motivo de alegria e gratidão a Deus. Tiago disse: “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da fé, uma vez confirmada, produz perseverança. Ora, a perseverança deve ter ação completa, para que sejais perfeitos e íntegros, em nada deficientes” (Tg 1.2-4). Pedro complementa: “Nisso exultais, embora, no presente, por breve tempo, se necessário, sejais contristados por várias provações, para que, uma vez confirmado o valor da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro perecível, mesmo apurado por fogo, redunde em louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo” (1Pe 1.6,7).
O Salmo 66.8-12 também nos fala algo importante acerca do acrisolamento de Deus: “Bendizei, ó povos, o nosso Deus; fazei ouvir a voz do seu louvor; o que preserva com vida a nossa alma e não permite que nos resvalem os pés. Pois tu, ó Deus, nos provaste; acrisolaste-nos como se acrisola a prata. Tu nos deixaste cair na armadilha; oprimiste as nossas costas; fizeste que os homens cavalgassem sobre a nossa cabeça; passamos pelo fogo e pela água; porém, afinal, nos trouxeste para um lugar espaçoso”.
É preciso se manter íntegro e fiel a Deus na provação, pois, assim que tudo passar, desfrutaremos de “um lugar espaçoso”. Infelizmente nem todos estão aptos para aprender com o acrisolamento de Deus. Foi com pesar no coração que o Senhor disse a Judá: “Eis que te acrisolei, mas disso não resultou prata; provei-te na fornalha da aflição” (Is 48.10; cf. Jr 6.27-30; 9.7-22). Diferente do salmista que disse: “Foi-me bom ter eu passado pela aflição, para que aprendesse os teus decretos” (Sl 119.71).
Que Deus nos conceda, em Cristo Jesus, a graça de sermos provados e aprovados por ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário