terça-feira, 4 de outubro de 2011

Poder do Espírito

Josivaldo de França Pereira

Existe uma série de palavras para indicar “poder” no Novo Testamento. Lucas empregou dynamis em Atos 1.8, mas há também exousia, thronos, bia, ischys, energia, kratos e keras. Será que houve algum motivo especial para Lucas usar a palavra dynamis ao invés de qualquer outra, ou ele a escolheu aleatoriamente?
Vejamos: exousia é uma palavra usada com muita frequência no Novo Testamento. A rigor é traduzida como "autoridade". Contudo, geralmente era empregada num contexto político (cf. Rm 13.1-3). Thronos indicava, a priori, a sede do governo, mas depois passou a significar a pessoa que detinha semelhante posição de autoridade ou força. Bia está associada ao emprego da força coerciva. Ischys significa força física. Energia é poder no seu exercício; força em ação. Kratos tem um sentido semelhante ao de ischys, porém, se refere mais ao exercício da autoridade. E keras (lit.: chifre), por sua vez, indica força e, juntamente com kratos, formam as duas palavras do Novo Testamento cujo significado fica mais perto de exousia e dynamis. Contudo, dynamis tem um sentido todo exclusivo. É a palavra do poder sem fronteiras, por assim dizer. A palavra apropriada para se referir, por excelência, ao poder sobrenatural e extraordinário da pessoa do Espírito Santo.
Portanto, Lucas sabia muito bem que ao escolher dynamis estava utilizando o termo que melhor representa a ação poderosa do revestimento do Espírito na vida do crente e da igreja. "... permanecei, pois, na cidade", disse Jesus aos discípulos, a quem ele havia primeiramente comissionado para evangelizar o mundo, "até que do alto sejais revestidos de poder..." (Lc 24.49; cf. At 1.8).
Quando o Espírito Santo foi derramado por ocasião do Pentecostes, "Com grande poder os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus..." (At 4.33). E ainda: "Estêvão, cheio de graça e poder, fazia prodígios e grandes sinais..." (At 6.8). Temos também a declaração de Pedro na casa de Cornélio a respeito de Jesus, que "Deus ungiu...com o Espírito Santo e poder..." (At 10.38). Nesses exemplos Lucas revela que desde o princípio o evangelho foi disseminado pelo poder do Espírito Santo.
O poder do Espírito é o segredo do sucesso da missão da igreja. Lembremos que os discípulos de Jesus foram homens que andaram cerca de três anos com o Mestre. Conheceram-no intimamente, foram ensinados por ele, ouviram seus sermões e viram seus milagres. Presenciaram seus sofrimentos, morte, ressurreição e ascensão. Se alguma vez existiram homens que estivessem em melhor posição e condição de falar ao mundo acerca da ressurreição de Jesus e de todos os fatos a respeito dele, esses homens foram seus discípulos. No entanto, o que o Senhor Jesus diz é que eles seriam totalmente incapazes de fazê-lo se do alto não fossem revestidos do poder do Espírito. Isso é extremamente significativo, principalmente quando olhamos para o livro de Atos e percebemos que Lucas não pretende, pelo menos a princípio, enfatizar a obediência dos apóstolos em cumprir a Grande Comissão, mas sim, deixar em evidência a relutância de todos eles em obedecê-la (cf. At 8.1).




2 comentários:

  1. Shalom!

    Amado Pr Josivaldo, blogs como o do nobre amigo enriquecem a internet. No meio de tantas mentiras, engodos e superficialidades, este blog é um oásis da Palavra.

    um abraço, Pr Marcello

    ResponderExcluir
  2. Obrigado pastor Marcello por tão alentadoras palavras. Se não fosse pela força e ajuda do amado irmão provavelmente este blog não existiria.
    Paz do Senhor.
    Pr Josivaldo.

    ResponderExcluir