segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Sacramentos de Roma

Josivaldo de França Pereira


       Sacramentos são ordenanças sagradas instituídas por Cristo para simbolizar, selar e aplicar ao crente os benefícios da salvação. Cristo instituiu dois sacramentos: o Batismo e a Ceia do Senhor (Mt 28.19; 26.26-30; Mc 14.22-26; Lc 22.14-20; 1Co 11.23-25).
A Igreja Romana, durante a Idade Média, aumentou de maneira injustificada o número dos sacramentos para sete. Além dos que foram instituídos por Jesus, acrescentaram a confirmação, a penitência, a extrema-unção, as ordens e o matrimônio.
A confirmação é o "sacramento" em que o bispo faz o sinal da cruz na testa do indivíduo batizado e lhe toca na face a mão direita com óleo, para confirmá-lo e fortificar na graça da fé recebida no batismo. A confirmação é conhecida também como o sacramento da crisma*.
O "sacramento" da penitência ou simplesmente penitência é o da "remissão" dos pecados de quem os confessa e se arrepende deles.
Extrema-unção é a unção que se faz aos moribundos com o "santo óleo".
As ordens referem-se à hierarquia eclesiástica. É o "sacramento" que conferido pelo bispo dá o poder de exercer as funções eclesiásticas. Cada grau hierárquico forma uma ordem. As ordens podem ser Maiores (presbítero, diácono e subdiácono) ou Menores (porteiro ou hostiário, leitor, exorcista e acólito).
Quanto ao matrimônio há grande incoerência por parte de Roma ao denominá-lo sacramento. Uma vez que a mesma o considera um mal necessário. Se é um mal como pode ser sacramento? Por um lado é sacramento, mas por outro sujeira, poluição e imundícia carnal. Se por um lado é sacramento, por outro é proibido aos sacerdotes.
A Igreja Romana procura encontrar base escritural para a confirmação em Atos 8.17; 14.22; 19.6; Hebreus 6.2; para a penitência em Tiago 5.16; para a extrema-unção em Marcos 6.13; Tiago 5.14; para as ordens em 1Timóteo 4.14; 2Timóteo 1.6 e para o matrimônio em Efésios 5.22,23.**
Nunca é demais lembrar que os verdadeiros sacramentos são aqueles instituídos por Cristo através de cerimônia externa, com promessas para todos o que nele creem e deles participam em plena comunhão.

__________________
* A palavra "crisma" é de origem grega e significa unção. Na Igreja Romana é feita com o denominado "santo óleo" (azeite perfumado com bálsamo que serve para unção na administração de certos sacramentos e celebração de outras cerimônias).

** Para uma ampla apresentação dos sacramentos romanos e a refutação dos mesmos, veja As Institutas de João Calvino, Livro IV, Capítulo XIX.


Um comentário:

  1. Vindo de um protestante e herege o que poderíamos esperar com relação a Igreja católica.
    Um dia prestara conta disso!

    ResponderExcluir