quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

O melhor está por vir

Josivaldo de França Pereira


Às vezes achamos que as provações que passamos neste exato momento é o fim de tudo, quando na verdade elas fazem parte do começo das coisas gloriosas e excelentes que Deus quer nos dar. Jó, após sua dolorosa tribulação, conquistou muito mais depois de ter perdido seus animais, seus servos, seus filhos e sua saúde. “... o SENHOR deu-lhe o dobro de tudo o que antes possuíra” (Jó 42.10). Até os filhos vieram em dobro porque os dez primeiros que morreram estavam no céu, aguardando o dia do grande reencontro com o papai Jó.
Tiago cita a experiência de Jó nas provações para motivar os crentes de seu tempo, e os de hoje também: “Como vocês sabem, nós consideramos felizes aqueles que mostraram perseverança. Vocês ouviram falar sobre a perseverança de Jó e viram o fim que o Senhor lhe proporcionou. O Senhor é cheio de compaixão e misericórdia” (Tg 5.11, NVI). De tudo que Jó conquistou em dobro, como resultado de sua perseverança, compaixão e misericórdia do Senhor, o mais importante foi um conhecimento profundo de Deus e uma experiência com o Senhor que ele não teria se não fosse pela provação. “Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem”, confessou o servo de Deus (Jó 42.5).
Em certas ocasiões parece que Jó ia sucumbir. Ele não sabia por que passava por aquilo tudo. Jó se indignou com seus amigos chamando-os de “consoladores molestos” (Jó 16.2) e em vários momentos se queixou do próprio Deus.[1] Nós agimos da mesma forma quando não compreendemos o porquê das coisas. As palavras de Paulo: “Sabemos que todas as cousas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Rm 8.28), parecem ficar totalmente esquecidas nessas horas. Contudo, no caso de Jó, ele não desistiu de perseverar e confiar no Senhor.
Você e eu estamos sujeitos a muitas coisas neste mundo, porém, não podemos desistir porque o melhor de Deus para a nossa vida ainda está por vir. Creia nisso, em nome de Jesus! Tiago diz no início de sua carta: “Meus irmãos, tende por motivo de toda alegria o passardes por várias provações, sabendo que a provação da vossa fé, uma vez confirmada, produz perseverança” (Tg 1.2,3). Segundo Douglas Moo, “o sofrimento é o meio através do qual a fé, testada no fogo da adversidade, pode ser purificada e então fortalecida. Desta forma, a idéia não é a de que provações determinam se uma pessoa tem fé ou não. Em vez disso, elas fortalecem a fé que já existe”.[2]
Dietrich Bonhoeffer, um mártir cristão do século XX, disse sabiamente que “a cruz não é fim de uma vida piedosa, feliz, antes se encontra no começo da comunhão com Jesus Cristo”.[3] Entretanto, se tudo falhar, no sentido de não conseguirmos a vitória nesta vida, saibamos que o futuro celestial nos aguarda com bênçãos sem medida. Paulo, que sofreu bastante neste mundo, disse o seguinte: “Porque para mim tenho por certo que os sofrimentos do tempo presente não podem ser comparados com a glória a ser revelada em nós” (Rm 8.18). E também: “Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação” (2Co 4.17).
Lembre-se: Independente do que você esteja passando, o melhor ainda está por vir.


[1] Veja a postagem “Jó: paciente ou perseverante?”.
[2] Douglas J. Moo, Tiago: introdução e comentário. Série Cultura Bíblica. São Paulo: Vida Nova/Mundo Cristão, 1990, p. 60.
[3] D. Bonhoeffer, Discipulado. São Leopoldo: Sinodal, 1984, p. 44.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário