quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

O SEMINARISTA

Josivaldo de França Pereira


Era seu primeiro dia de aula. Ele chegou animado, radiante de alegria e muito ansioso para iniciar sua formação teológica. Muito espiritual, com razão estranhou o linguajar daquele colega no intervalo da aula. "Tudo bem, deixa pra lá", pensou ele, "nada que possa ser denominado de escândalo". Antes de iniciar a próxima aula, leu a Bíblia e fez uma breve oração. Não era possível fazer muita coisa. Primeiro porque o intervalo era pequeno e segundo porque a maioria da classe conversava enquanto um ou outro realmente bagunçava.
Uma ideia brilhante surgiu quando alguém lá do fundo pediu silêncio e propôs à turma que todos chegassem "mais cedo amanhã" para que se fizesse uma devocional antes da primeira aula. Outro sugeriu que devocionais fossem feitas todos os dias e que cada dia alguém trouxesse "uma palavrinha". A classe apoiou.
A primeira semana foi bem. Na segunda semana não teve devocional na terça, quinta e sexta. Na terceira as devocionais acabaram-se de uma vez por todas. O curioso é que a falta de constância do grupo estava se refletindo na vida devocional de cada um também. Em casa quem costumava orar e ler a Bíblia todos os dias andava faltoso. Outros já não liam a Bíblia havia um bom tempo.
Começou-se as pesquisas para os trabalhos, os estudos para as provas e as devocionais foram todas para o espaço. A leitura diária da Bíblia há muito foi substituída pelas leituras dos livros. Seminarista tem que ler muito mesmo! A leitura faz parte de sua boa formação. Mas nada disso à custa de uma vida de oração e comunhão com Deus!
É preciso que nossos seminários atentem para a vida devocional de seus alunos. A espiritualidade cristã deve acompanhar nossos jovens durante o decorrer de seus estudos para que se tornem pastores piedosos e bênçãos em suas igrejas. Quantos iniciaram bem o seminário e saíram deles "céticos" em relação a Deus e à vida? Precisamos criar em nossos meninos o hábito da leitura bíblica diária. E os professores devem ser exemplos nesse particular.
Há pastores que alegam não ter tempo para uma leitura diária da Bíblia e oração. É isso que Deus quer? Claro que não. O pastor não deve somente falar de Deus ou sobre Deus. Ele precisa falar com Deus. O pastor não deve somente falar da Bíblia ou tomá-la em suas mãos apenas para fazer seu sermão. Ele precisa ter seu momento devocional com a Palavra de Deus e com o Deus da Palavra. Uma boa sugestão é iniciarmos nossas manhãs assim. Por que não começar o café da manhã com Deus, como fazia o salmista? "De manhã, SENHOR, ouves a minha voz; de manhã te apresento a minha oração e fico esperando" (Sl 5.3); "Eu, porém, cantarei a tua força; pela manhã louvarei com alegria a tua misericórdia; pois tu me tens sido alto refúgio e proteção no dia da minha angústia" (Sl 59.16); "Faze-me ouvir, pela manhã, da tua graça, pois em ti confio; mostra-me o caminho por onde devo andar, porque a ti elevo a minha alma" (Sl 143.8).
Seminaristas, pastores, líderes e crentes em geral, não se esqueçam da recomendação do Senhor Jesus para com o Deus Pai: "Buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas cousas vos serão acrescentadas" (Mt 6.33).



Nenhum comentário:

Postar um comentário