terça-feira, 13 de março de 2012

O conceito bíblico de igreja

Josivaldo de França Pereira


O conceito bíblico de igreja é o da coletividade, da comunidade cristã, dos chamados para fora. A Bíblia nunca se refere ao individuo crente como igreja. Você não é a igreja; eu não sou igreja. Nós, juntos com os outros, é que somos igreja de Jesus. Entretanto, escrevendo aos Coríntios, Paulo diz: “Acaso não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos?” (1Co 6.19; cf. 3.16). Há uma clara distinção entre os termos igreja de Cristo (cf. Mt 16.18; Ef 5.23-32) e santuário ou templo de Deus/do Espírito Santo (cf. 1Co 3.16; 6.19; 2Co 6.16).  
A igreja de Jesus é a soma de todos os crentes em sua manifestação neotestamentária, onde quer que esteja verdadeiramente representada sobre a terra (cf. At 9.31; 1Co 6.4; 12.28; Ef 1.22; 3.10,21; 5.23-32; Fp 3.6; Cl 1.18; 1Tm 3.14,15).[1] A mais antiga declaração de fé cristã, o Credo Apostólico, diz acerca da igreja do Senhor: “Creio... na santa Igreja universal; na comunhão dos santos...”. Quando em um estudo bíblico eu falava sobre os escolhidos de Deus, fui interrompido por alguém que disse: “Deus não escolhe pessoas. A igreja sim é eleita, não as pessoas individualmente”. Não foi difícil responder que a igreja de Deus é formada por indivíduos. A igreja é eleita porque é composta por pessoas eleitas.
A expressão “templo“ ou “santuário do Espírito Santo” tem uma conotação mais particular no ensino do Novo Testamento. Conquanto a igreja do Senhor Jesus, como um todo, seja templo do Espírito Santo, templo (ou santuário) do Espírito aplica-se também ao crente individual. Segundo Morris, às vezes as palavras de 1Coríntios 3.16 “são aplicadas ao crente individual, mas é 6.19 que fala do indivíduo como templo de Deus. Aqui [em 1Co 3.16] a ideia é a de toda a comunidade dos crentes como santuário de Deus. Santuário está no singular, mas o verbo está no plural (vós) sois. A referência é à igreja”.[2] De acordo com Kistemaker, em 1Coríntios 6.19 o apóstolo Paulo “escreve as duas palavras, corpo e templo, no singular para aplicá-las ao crente individual. (...). Aos coríntios Paulo escreve literalmente: ‘Seu corpo é um templo daquele que está dentro de vocês, a saber, o Espírito Santo’, isto é, o corpo físico do cristão pertence ao Senhor e serve como residência do Espírito Santo”.[3] Leia Romanos 8.9.
Kruse, comentando o texto de 2Corintios 6.16, diz: “Em 1Coríntios, Paulo fala do corpo do crente individual (1Co 6.19,20), e da comunidade cristã como um todo (1Co 3.16,17), como sendo o templo de Deus. Paulo usa essa expressão neste último sentido, aqui [em 2Co 6.16]”.[4]
Os cristãos do Novo Testamento igualmente nunca chamam um edifício feito de pedras e cimento de igreja. Eles falavam do templo de Jerusalém, porém, nunca o chamavam de igreja.[5] Igreja são sempre pessoas. No entanto, a figura de um edifício para representar a igreja é bíblica.[6] O Senhor Jesus disse: “... edificarei a minha igreja...” (Mt 16.18). Paulo reafirmou: “... edifício de Deus sois vós” (1Co 3.9). E mais: “no qual [Cristo Jesus] todo o edifício, bem ajustado, cresce para santuário dedicado ao Senhor, no qual também vós juntamente estais sendo edificados para habitação de Deus no Espírito” (Ef 2.21,22). Pedro complementa: “Chegando-vos para ele, a pedra que vive, rejeitada, sim, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, também vós mesmos, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por intermédio de Jesus Cristo” (1Pe 2.4,5). “Pouco a pouco o edifício cresce. Aumenta em força, beleza e utilidade, e seus membros são considerados ‘pedras vivas’”.[7]
A língua grega tem duas palavras para “santuário” ou “templo”. Uma delas é hieron, que se refere ao complexo do templo em geral, como na cidade de Jerusalém. A outra palavra é naos, que denota o prédio do templo, como o Lugar Santo e o Lugar Santíssimo.[8] Em 1Coríntios 3.16 e 6.19 Paulo usa naos. “Para o judeu, esse era o lugar onde Deus habitava entre seu povo até a destruição do templo em 70 d.C. Para o cristão, não num local geográfico fixo, e sim no corpo do crente individual, é onde o Espírito de Deus se agrada viver”.[9] Segundo Kistemaker, “Na Igreja primitiva, Irineu chamava os cristãos individuais de ‘templos de Deus’ e descrevia-os como ‘pedras para o templo do Pai’”.[10]
Concluímos, portanto, que existe uma distinção relevante entre os termos igreja e templo no Novo Testamento. O primeiro nunca é aplicado ao crente individual; o segundo refere-se tanto à igreja em sua coletividade como ao crente individualmente.


[1] Cf. G. Hendriksen, Comentário del Nuevo Testamento: San Mateo. Grand Rapids: SLC, 1986, p. 681.
[2] Leon Morris, 1Coríntios: introdução e comentário. Série Cultura Bíblica. São Paulo: Vida Nova, 1992, p. 56. (Itálicos do autor).
[3] Simon Kistemaker, Comentário do Novo Testamento: 1Coríntios. São Paulo: Cultura Cristã, 2004, p. 286. (Itálicos do autor).
[4] Colin Kruse, 2Coríntios: introdução e comentário. Série Cultura Bíblica. São Paulo: Vida Nova, 1994, p. 147.
[5] Veja a postagem “O conceito bíblico de templo”.
[6] Hendriksen, p. 680.
[7] Ibidem.
[8] Kistemaker, p. 286; Morris, p.82.
[9] Kistemaker, p. 286.
[10] Ibidem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário