quinta-feira, 19 de julho de 2012

Cessacionismo e a Soberania de Deus

Josivaldo de França Pereira


No sistema presbiteriano a soberania de Deus é a ideia ou verdade fundamental do nosso calvinismo. Em torno dela giram todas as outras. A soberania é um atributo comunicável de Deus, ou seja, ele concedeu a dádiva dessa graça também aos seres humanos; no entanto, somente Deus é soberano na essência do seu Ser.
A soberania de Deus pode ser definida como o exercício de sua supremacia. Sendo Deus infinitamente elevado acima da mais elevada criatura, ele é o Altíssimo, o Senhor dos céus e da terra. Não sujeito a ninguém, não influenciado por nada, absolutamente independente. Deus age como lhe apraz, somente como lhe apraz, sempre como lhe apraz. Ninguém consegue frustrá-lo nem impedi-lo.[1] Um dos melhores livros sobre o tema da soberania de Deus, em língua portuguesa, é “Deus é Soberano” de Arthur Pink. Nesse livro, uma das teses do autor é a necessidade de se proclamar vigorosamente que Deus continua vivo, que Deus continua observando, que Deus continua reinando.[2]
Será que o cessacionismo teológico, à luz da soberania de Deus, subsiste?
Os cessacionistas, como o próprio nome diz, afirmam que os dons espirituais descritos por Paulo – especialmente os de 1Coríntios 12 e 14 – terminaram, ficando restritos à era apostólica. Esse posicionamento é, geralmente, defendido pelas chamadas igrejas históricas. Contudo, ele não encontra guarida em todos os seus líderes. O próprio Ashbel Green Simonton, pai do presbiterianismo no Brasil, disse em seu Diário: “Mais do que qualquer coisa, preciso do batismo do Espírito Santo”.[3]
Algumas questões relevantes são destacadas, como por exemplo: Se Deus é soberano – conforme dizem corretamente as igrejas históricas de origem reformada e calvinista – como podemos afirmar categoricamente que dons cessaram? Considerando que os dons espirituais foram necessários para a realização da obra evangelística e missionária da igreja apostólica, não estaríamos nós em defasagem, de acordo com o entendimento cessacionista? Se o Deus do Antigo Testamento é o mesmo do Novo e também dos nossos dias, como posso eu afirmar, em sã consciência, que Deus não fará mais hoje o que fez no passado? Se Deus é o mesmo de sempre no tratamento do pecado, por que não o seria na edificação de sua igreja com os dons que “cessaram”?
Estou ciente que as pragas do Egito não se repetirão; que o Mar Vermelho não se abrirá novamente; que as águas do Jordão não se dividirão outra vez, etc. Mas eu creio num Deus de milagres para hoje sim. Creio piamente que a frieza espiritual que assola as nossas igrejas só vai acabar com uma ação poderosa e sobrenatural do Espírito Santo em nossas vidas, em nome de Jesus! 
Alguns cessacionistas se autodenominam “calvinistas consistentes”, enquanto que os demais são rotulados de “calvinistas pontuais”, por não concordarem com João Calvino nesta matéria. O mais interessante é que eles são “consistentes” somente na questão dos dons espirituais. “Calvinista consistente” é uma expressão presunçosa e arrogante, pois os mesmos não são consistentes com Calvino em relação à doutrina da predestinação, ao modo de batismo, etc.
Nós, presbiterianos, rebatizamos quem vem da igreja católica, Calvino achava o rebatismo, mesmo de quem viesse da igreja romana, inadmissível.  Ele entendia que o batismo feito em nome do Pai, Filho e Espírito Santo é válido, independente de quem o ministrou.[4] Nós batizamos somente por aspersão. Para Calvino a forma ou modo de batismo é indiferente.[5] Na doutrina da predestinação Calvino era supralapsariano, nós somos infralapsarianos.[6]
Por ser Deus soberano ele não pode estar confinado a ideias e conceitos, sistemas doutrinários e teológicos, e nem mesmo à Bíblia. O que a Bíblia nos diz sobre Deus é um resumo de sua grandeza de maneira que nos seja compreensível. Não estou dizendo que a Bíblia seja limitada ou insuficiente. Não! O que Deus nos quis revelar e nos revela, a Bíblia ensina. Na verdade, é a própria Palavra de Deus que nos afirma que há coisas da soberania de Deus que estão além do nosso entendimento. Deuteronômio 29.29 fala de coisas encobertas que “pertencem ao SENHOR”. O Senhor Jesus disse a Nicodemos: “Se, tratando de cousas terrenas, não me credes, como crereis, se vos falar das celestiais?” (Jo 3.12). Paulo faz menção do que “em espírito fala mistérios” (1Co 14.2).
É verdade que em 1Coríntios 13.8 o apóstolo declara, por exemplo, que as profecias, línguas e ciência desaparecerão, mas ele não revela quando isso acontecerá.[7] Calvinistas mais radicais dizem que Paulo se refere ao fechamento do cânon sagrado, tendo como parâmetro 1Coríntios 13.10, porém, esse pensamento é frágil, posto que não há fundamento bíblico para tal afirmação.
Penso que, com base na doutrina da soberania de Deus, os cessacionistas deviam rever seus conceitos, segundo a Bíblia, segundo os relatos da História.





[1] Cf. A. W. Pink, Os Atributos de Deus. São Paulo: Publicações Evangélicas Selecionadas, 1990, p. 31,32.
[2] Pink, Deus é Soberano. 3ª ed. São José dos campos: Fiel, 1990 (o livro todo).
[3] Ashbel G. Simonton. Diário: 1852-1867. São Paulo: Casa Editora Presbiteriana, 1982, p. 167,68.
[4] Institutas. IV. xv. 16.
[5] Institutas. IV. xv.19.
[6] Cf. Louis Berkhof, Teologia Sistemática. 7ª ed. espanhola. Grand Rapids: T.E.L.L., 1987, p. 139.
[7] Simon Kistemaker, Comentário do Novo Testamento: 1Coríntios. São Paulo: Cultura Cristã, 2004, p. 652.

5 comentários:

  1. SHALOM!

    Amigo Josivaldo, companheiro da literatura! Seu texto é irretocável, irrefutável. Parabéns pela firmeza em escrever algo que tem causado muitas divisões no seio da Igreja. Ora, se cessaram os dons, cessou-se a graça. Por que, o que são os dons, senão fruto da maravilhosa graça de Deus?

    Muito agradecido pelo texto e pelo prazer de desfrutar sua amizade, Pr Marcello de Oliveira

    ResponderExcluir
  2. Meu irmão, suas palavras são bálsamo de Deus ao coração. Obrigado por sua amizade e carinho. Que o Eterno continue abençoando grandemente sua vida.

    ResponderExcluir
  3. Meus amigos irmãos, passei pela net visitando vários blogs, e passei pelo seu lindo e excelente blog, não li muito mas o suficiente para ver que pelas suas palavras aqui expressas, é um ser que ama o mesmo Deus, e que deseja servi-lo e honra-lo, e isso para mim é mais que motivo de alegria. Quero deixar-lhe um convite: Mas faça-o só se desejar, se não estiver interessado pode deletar meu comentário que não fico chateado. Se deseja fazer parte do blog. O Peregrino e servo. Decerto que irei seguir também seu blog, não sou das pessoas que dizem que vão seguir e depois não seguem. Também peço desculpa se por acaso deixar mais do que um comentário. Obrigado pela atenção.
    Antonio Batalha.

    ResponderExcluir
  4. Obrigado amado irmão por suas palavras tão ternas e motivadoras. Já estou seguindo seu blog. Fique na paz do Senhor.

    ResponderExcluir
  5. Interessante eu tbm creio que Deus manifeste dons mais em casos específicos e para pessoas específicas não atoa nem a torto e a direita e sim os dons cessaram com o fim do canôn ou melhor com a morte do ultímo Apóstolo se todos os dons existem hj pq é que quando um pastor passa dentro da igreja pela bancada dos surdos e mudos ninguém fica curado? A sombra da capa de pedro curava os enfermos, os dons cessarão de forma liberal mais ainda existem para pessoas específicas em casos específicos, exemplo Deus te manda ir pregar o Evaneglho no Japão mais vc não sabe Japones então Deus te da o dom de falar japonês e o domínio dessa língua.

    ResponderExcluir