quarta-feira, 4 de julho de 2012

A FÉ EM JESUS

Josivaldo de França Pereira

Para que alguém seja salvo de seus pecados é necessário que se arrependa e creia no Senhor Jesus. O que significa crer em Jesus Cristo? Em que consiste a fé salvadora? Embora resumidamente, esperamos responder a contento essas indagações.

A FÉ EM JESUS É DOM DE DEUS
Agostinho costumava dizer que nada é nosso, exceto o pecado. Portanto, a fé em Jesus Cristo é uma graça salvadora de Deus para a nossa vida. Isto é o mesmo que dizer: A fé é um dom de Deus.
Não podemos ter dúvida quanto a isso. Que a fé é um dom de Deus está claro em passagens bíblicas como Atos 13.48 (creram todos os que haviam sido destinados para a vida eterna), Efésios 2.8 (pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus), Filipenses 1.29 (Porque vos foi concedida a graça de padecerdes por Cristo, e não somente [a graça] de credes nele), 2Tessalonicenses 3.2 (a fé não é de todos) e Tito 1.1 (a fé que é dos eleitos de Deus). Além de ser um dom de Deus, a fé aparece também em algumas das passagens acima como fruto da eleição divina. Eleição que também é pela graça e dom de Deus (cf. Rm 11.5,6).
Mas alguém poderia perguntar: "Se a fé em Jesus Cristo é dom de Deus, por que em vários lugares da Bíblia é ordenado ao homem crer em Jesus?". A soberania de Deus não anula a nossa responsabilidade. Todos nós somos moralmente responsáveis diante de Deus e, como tais, responderemos pelos nossos atos. O ser humano precisa se arrepender de seus pecados e confiar somente em Jesus para a vida eterna, pois Deus não pode se arrepender e crer em seu lugar. Por outro lado, como bem salientou James Packer, "Se nós mesmos temos fé, isso se deve apenas ao fato que Deus em sua misericórdia abriu os nossos olhos". A conversão de Lídia é um ótimo exemplo. Lucas relata: "Quando foi sábado, saímos da cidade para junto do rio, onde nos pareceu haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido. Certa mulher chamada Lídia, da cidade de Tiatira, vendedora de púrpura, temente a Deus, nos escutava; o Senhor lhe abriu o coração para atender às cousas que Paulo dizia" (At 16.13,14). Aqui temos o que biblicamente denominamos de novo nascimento ou conversão de Lídia. Uma obra do Espírito de Deus. O verbo grego dih/noicen (abriu) está no aoristo e significa que ali houve uma ação completa e definitiva do Espírito Santo. Durante a pregação de Paulo Lídia "escutava" e o seu coração foi "aberto" para que atendesse. É necessário que a intervenção divina, que torna o homem natural receptivo para com a Palavra de Deus, anteceda o ouvir com proveito a pregação do evangelho. "Deus concedeu a Lídia um coração receptivo para compreender coisas espirituais. Ele deu a ela o dom da fé e a iluminação do Espírito Santo" (Simon J. Kistemaker).
O autor aos Hebreus (12.2) nos lembra ainda que Jesus Cristo é o autor e o consumador de nossa fé. O princípio e o fim da fé salvadora. E o que isso quer dizer? Quer dizer que como Autor Jesus "preparou o caminho da fé com triunfo diante de nós, abrindo assim um caminho para os que o seguem". Como Consumador da fé ele é "o completador e aperfeiçoador; no sentido de levar uma obra até o fim, não por decurso de prazo".
A teologia arminiana afirma que Deus não concede o dom da fé em Jesus a ninguém porque, segundo ela, "nem mesmo existe tal dom". Diz ainda que a fé é própria do ser humano e que, por conseguinte, toda pessoa pode crer em Cristo. Por último, salienta que embora o ser humano esteja debilitado pela queda do pecado, não está incapaz de exercer fé em Cristo, receber o evangelho e tomar posse da salvação para si mesmo.
A teologia arminiana está equivocada. A Bíblia é clara em dizer que o homem natural está morto em seus delitos e pecados (Ef 2.1). Não diz que ele está doente ou com força suficiente para fazer alguma coisa por si só. Ele está morto! A palavra “morto” já diz tudo. Além disso, a teologia arminiana contraria explicitamente aquelas passagens bíblicas que afirmam ser a fé um dom de Deus.
Embora sejamos responsabilizados a crer em Jesus (porque Deus não crê em nosso lugar), a fé, do começo ao fim, é dom de Deus.

A FÉ EM JESUS É SALVADORA
A fé em Jesus Cristo é uma graça salvadora (cf. Ef 2.8). A fé salvadora não é um mero assentimento intelectual ou mera fé temporal.
Muitas pessoas crêem em Jesus Cristo do modo como crêem em Pedro Álvares Cabral ou em D. Pedro I. Acreditam que Jesus realmente viveu, morreu e ressuscitou, isto é, crêem que Ele era de fato uma pessoa da história. Essas pessoas supõem que isso seja fé na verdadeira concepção do termo, isto é, a fé salvadora. Mas não é, porque elas não estão confiando em Jesus para qualquer coisa agora, muito menos para a vida eterna. Essas pessoas possuem meramente a fé intelectual para fatos históricos, da mesma forma que acreditam em Pedro Álvares Cabral, mas hoje não confiam nele para nada. Um exemplo da fé como mero assentimento intelectual pode ser encontrado em Tiago 2.19: "Crês tu que Deus é um só? Fazes bem. Até os demônios crêem e tremem". Tiago está ironizando aqueles que diziam ter fé na unicidade de Deus, porém, não evidenciavam tal fé através das obras. Os demônios crêem e tremem, mas nem por isso são salvos.
Outro exemplo do que não é fé salvadora é a fé temporal. Você deve ter orado a Deus muitas vezes, não é verdade? Confia nele para certas coisas, não é mesmo? Quando você confia no Senhor a respeito de suas finanças, podemos dizer que você tem fé financeira. Quando você confia no Senhor para cuidar de sua família, você pode chamar isso de fé familiar. Em viagens você tem fé viajante. Há um elemento comum em todas essas coisas. São temporais. Todas elas são cosias desta vida, coisas deste mundo que irão passar. Muitas vezes confiamos em Jesus para todas essas coisas temporais, que não é errado, contudo, essa ainda não é a verdadeira fé salvadora.
Fé salvadora é receber a Jesus e confiar somente nele para a vida eterna. Quem é Jesus? A maioria das pessoas sabe que Jesus Cristo é o filho de Deus, mas esta mesma maioria não sabe que Jesus também é o Deus Filho, o infinito Deus-homem que morreu na cruz e ressuscitou dentre os mortos, para pagar a pena dos nossos pecados e comprar um lugar nos céus para nós, o qual nos oferece gratuitamente.
A fé em Jesus envolve tanto confiança nele como a entrega da vida a ele. Estas coisas fazem parte da fé que conduz à vida eterna. E se a nossa convicção é de que realmente temos a vida eterna porque temos a fé salvadora, então, vamos nos firmar cada vez mais e mais nesta certeza, pois o próprio Senhor Jesus garantiu aos que nele crêem que será assim. "Em verdade, em verdade vos digo: Quem crê (em mim), tem a vida eterna" (Jo 6.47).
Concluindo:
Lembremos que a Escritura Sagrada dá testemunho de Jesus (cf. Jo 5.39) e é através dela que, iluminados pelo Espírito Santo, somos habilitados a crer em Jesus para a salvação (1Co 1.21-24). Por isso mesmo, precisamos pregar a Palavra. O Espírito Santo usa a mensagem bíblica para conceder a fé (Rm 10.17), mas isso não o impede de usar a você e a mim (Rm 10.13-15), pelo contrário, por ele somos capacitados a evangelizar quando ouvimos a sua voz e obedecemos ao seu chamado.

3 comentários:

  1. Shalom!

    Amado, se estamos mortos, como Adão conseguiu ouvir a voz de Deus? Ele não estava morto quando pecou? Pois o texto diz que ele certamente morreria, ou não? Ora, Gn 3.10 diz que ele ouviu a voz de Deus no jardim. Mas, morto?

    Pr Marcello

    ResponderExcluir
  2. Muito boas perguntas amado pastor. As respostas para todas elas estão em Efésios 2.1-10. Paulo diz que estávamos mortos (não feridos e nem mais ou menos mortos) em nossos delitos e pecados. Na continuação do texto ele vai dizer que a salvação em Cristo é tão somente pela graça. Não por obras para que ninguém se glorie. Em outras palavras, só podemos desenvolver a nossa salvação com temor e tremor (cf. Fp 2.12)porque Deus é quem efetua em nós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade (cf. Fp 2.13).
    Um forte abraço meu querido.

    ResponderExcluir
  3. Na minha humilde compreensão, o ARREPENDIMENTO não é um DOM de Deus, como muitos pensam, mas, sim, um dos ATRIBUTOS divinos, da mesma forma que a FÉ, os quais nos foram comunicados quando Deus nos criou à Sua imagem e semelhança.
    Cada qual tem a liberdade de manifestá-los de acordo com suas próprias vontades, exatamente como nos mostram algumas passagens bíblicas, como, por exemplo, a parábola do semeador, onde os homens são comparados a certo tipos de terrenos, nos quais são lançadas a semente (a Palavra de Deus), e cada um escolhe como receber a semeadura (dando fruto ou não).
    A entrada na Graça do Filho de Deus ocorre mediante os ATRIBUTOS do arrependimento e da fé, os quais foram comunicados aos homens quando foram criados à imagem e semelhança de Deus. Há passagens que nos mostram, claramente, a manifestação do ATRIBUTO divino do ARREPENDIMENTO, nas quais podemos ver o Senhor se ARREPENDENDO do mal que intentava fazer a determinadas pessoas, como resultado da Sua infinita misericórdia (Jn 3:10).
    Com relação ao ATRIBUTO DA FÉ, a própria ciência comprova que o homem foi projetado para crer em um ser superior, conforme diz o Dr. Rodrigo Silva: https://www.youtube.com/watch?v=2DF-bUMBmJ0
    Assim sendo, ao nos criar à Sua imagem e semelhança, o Senhor Deus nos transmitiu os ATRIBUTOS DO ARREPENDIMENTO E DA FÉ , os quais fazem parte do Seu próprio SER.
    Mas, quer dizer, então, que o Senhor Deus possui o atributo da FÉ? Claro que sim, pois quando Deus disse, por exemplo, "Haja Luz!", será que Ele não cria que a luz apareceria?
    Outrossim, quando Ele profetizou que a semente da mulher pisaria a cabeça da serpente, mais uma vez aparece a manifestação do ATRIBUTO DA FÉ, pois, naquele momento, o Senhor Deus estava falando de Jesus Cristo, o qual possuía o mais legítimo livre-arbítrio e poderia, por exemplo, ter negado a cruz diante do martírio que haveria de passar.
    Ou será que alguém duvida que Jesus possuía liberdade de escolha e acha que Ele estava fazendo de conta (que estava sofrendo tentação) quando pediu para o Pai passar d'Ele aquele cálice?
    Para os que duvidam do livre arbítrio de Jesus, basta ler Is 7:15-16.
    Finalizo, dizendo que, os que utilizam Efésios 2 para dizer que a FÉ é um DOM de Deus (o qual, segundo os Calvinistas, Deus dá a quem quer e não dá a quem não quer) não entenderam que o assunto do capítulo é o DOM da salvação e não o ATRIBUTO da fé.

    ResponderExcluir