domingo, 2 de dezembro de 2012

A Genealogia de Jesus em Mateus e Lucas

Josivaldo de França Pereira


As diferenças e semelhanças entre a genealogia de Jesus em Mateus e a de Lucas são bem evidentes.
Semelhanças. Os primeiros catorze nomes de Mateus (Abraão a Davi) aparecem também em Lucas. Os nomes de Salatiel, Zorobabel e Matã também se encontram em ambas as listas.
Diferenças. As diferenças entre as duas listagens são bem maiores que as semelhanças. Mateus dá a linha ancestral de Jesus Cristo, começando por Abraão, por Davi, por Salomão, e pelos reis, em ordem, até Jeconias, o último rei de Judá. Depois alista os nomes dos herdeiros ao trono, até Jesus. Lucas, na sua genealogia, começa com Jesus, traçando a linha ancestral por meio de Natã (irmão de Salomão) até Davi; e de Davi, mediante Abraão, até Adão.
A grande maioria dos nomes que está numa lista não aparece na outra. A lista de Mateus – (Abraão a Jesus) – é muito mais breve que a de Lucas (Jesus a Adão, filho de Deus). Mateus omite mais gerações que Lucas. Entre Davi e Salatiel a genealogia de Mateus contém 16 nomes diferentes da de Lucas que tem 22. Entre Salatiel e Jesus, Mateus menciona 13 nomes e Lucas novamente 22. Mateus apresenta uma genealogia descendente (de pai a filho); Lucas, uma ascendente (de filho a pai). Em Mateus, Jacó aparece como pai de José. Em Lucas, Heli é o pai de José.
Entendendo as diferenças. Como se sabe, Mateus escreveu principalmente para os judeus, o que explica o fato dele começar a genealogia de Jesus por Abraão e não a estende até Adão como Lucas o faz. Lucas é mais global indo até Adão porque tinha em mente os gentios. Quanto aos nomes, ambos os autores omitiram alguns deles sem fazer qualquer tentativa para apresentar listas completas. Eles apresentam tão-somente uma espécie de sumário da ascendência de Jesus.
Alguns estudiosos dizem que temos em Mateus a genealogia de José e em Lucas a de Maria.[1] Estou com aqueles que defendem as duas genealogias como sendo de José. Aos que sustentam uma genealogia mariana em Lucas, com base numa suposta referência talmúdica, Bruce responde: “Nenhuma ajuda nos pode ser prestada pela referência talmúdica (TJ Haghïghâ 77d) a certa Miriã, filha de Eli (cf. Heli, Lc 3.23), pois essa Miriã nenhuma conexão tem com a mãe de Jesus”.[2] E conclui: “Seja como for, é estranho que, se a lista de Lucas tencionava traçar a genealogia de Jesus por meio de Maria, que isso não tivesse sido claramente expresso”.[3]
Contudo, uma vez que ambas as genealogias são de José, por que elas são distintas em várias partes? De acordo com Champlin, “Aqueles que aceitam duas linhagens diferentes, uma real (de Mateus), e a outra simples e humana (ou sacerdotal, segundo alguns comentadores, de Lucas), parecem ter boas razões, porquanto os nomes contidos nas duas genealogias são bastante diferentes. Todavia, tudo isso são meras tentativas para explicar as diferenças, o que parece preferível a dizer que uma delas é a genealogia de José e que a outra é a genealogia de Maria, embora alguns eruditos continuem defendendo essa opinião”.[4]
O objetivo de Mateus e Lucas é mostrar que Jesus Cristo é o Filho de Deus, descendente legítimo de Abraão e Davi, ficando assim consubstanciadas as reivindicações messiânicas de nosso Senhor.

Bibliografia:
BRUCE, F. F. Genealogia de Jesus Cristo. In: O Novo Dicionário da Bíblia. 2ª ed. São Paulo: Vida Nova, 2003.
CHAMPLIN, Russel N. O Novo Testamento interpretado versículo por versículo: Mateus/Marcos. Vol. 1. São Paulo: Hagnos, 2002.
__________________. O Novo Testamento interpretado versículo por versículo: Lucas/João. Vol. 2. São Paulo: Hagnos, 2002.
HENDRIKSEN, William. Comentário do Novo Testamento: Mateus. Vol. 1. 2ª ed. São Paulo: Cultura Cristã, 2010.
___________________.Comentário do Novo Testamento: Lucas. Vol. 1. São Paulo: Cultura Cristã, 2003.




[1] Trato desta questão em detalhes na postagem “Por que José, o marido de Maria, é filho de Jacó em Mateus 1.16 e de Heli em Lucas 3.23?”.
[2] F. F. Bruce, Genealogia de Jesus Cristo. In: O Novo Dicionário da Bíblia. 2ª ed. São Paulo: Vida Nova, 2003, p. 659.
[3] Ibidem.
[4] R. N. Champlin, O Novo Testamento interpretado versículo por versículo: Lucas/João. Vol. 2. São Paulo: Hagnos, 2002, p. 44.

7 comentários:

  1. Irmão Josivaldo, feliz 2013 com as mais copiosas bençãos de Deus.

    Att, Marcelo de Oliveira

    Salmos 86.11

    ResponderExcluir
  2. Um 2013 repleto de bênçãos também pra você e toda sua família meu irmão.
    Pr Josivaldo.

    ResponderExcluir
  3. VISITANDOLES NUEVAMENTE DESDE EL SALVADOR CENTROAMERICA, DESDE MI BLOG www.creeenjesusyserassalvo.blogspot.com
    RECIBAN MUCHISIMAS BENDICIONES

    ResponderExcluir
  4. Toda essa confusão pra não admitir que um dos narradores errou, porque escreveram dezenas de anos depois do ocorrido, oque antes era narrado oralmente.

    ResponderExcluir
  5. Toda essa confusão pra não admitir que um dos narradores errou, porque escreveram dezenas de anos depois do ocorrido, oque antes era narrado oralmente.

    ResponderExcluir
  6. Eu creio na inspiração e inerrância da Palavra de Deus.

    ResponderExcluir