quarta-feira, 1 de maio de 2013

A escola dominical e a responsabilidade do professor

Josivaldo de França Pereira
 
O bom professor é aquele que almeja a excelência do ensino e se empenha por alcançá-la. Tem que ser como o apóstolo Paulo exortou: “...o que ensina, esmere-se no fazê-lo” (Rm 12.7). Paulo recomenda àquele que ensina uma dedicação total nesse ministério. Dedicação que resultará num progresso constante do professor, quer seja em relação à habilidade no ensino e crescimento espiritual de seus alunos, quer seja em relação à sua própria vida cristã.
O professor da escola dominical deve ser o primeiro a viver o que ensina. A classe nunca deve ser subestimada (muito menos a dos pequeninos). Ela saberá se o professor está sendo sincero no que diz, como também saberá se o professor se preparou adequadamente para a aula. Fazer pesquisas de última hora e preparar a lição às pressas nunca dá certo. Quando o professor não se esforça para fazer o melhor, ele não apenas desrespeita seus alunos como peca contra Deus.
Além de viver o que ensina, o professor também precisa conhecer os seus alunos, a fim de saber o quê e como ensiná-los, ou seja, suas características físicas, mentais, sociais, emocionais e espirituais.
Quanto ao preparo e à exposição da aula propriamente, os editores dos Estudos Bíblicos Didaquê apresentam sugestões preciosas que podem ajudar bastante os professores da escola dominical. Com ligeiras adaptações passo a transcrevê-las:     
. Utilizar sempre a Bíblia como referencial absoluto;
. Elaborar pesquisas e anotações, buscando noutras fontes subsídios para a complementação das lições;
. Planejar a ministração das aulas, relacionando-as entre si para que haja coerência e se evite a antecipação da matéria;
. Evitar o distanciamento do assunto proposto na lição;
. Dinamizar a aula sem monopolizar a palavra, oferecendo respostas prontas;
. Relacionar as mensagens ao cotidiano dos alunos, desafiando-os a praticar as verdades aprendidas;
. No final da aula despertar os alunos quanto ao próximo assunto a ser estudado, mostrando-lhes a possibilidade de aprenderem coisas novas e incentivando-os a estudar durante a semana;
. Depender sempre da iluminação do Espírito Santo, orando, estudando e colocando-se diante de Deus como instrumento para a instrução de outros;
. Verificar a transformação na vida dos alunos, a fim de avaliar o êxito de seu trabalho.
Duas coisas, pelo menos, têm levado algumas pessoas a perderem o interesse pela escola dominical hoje em dia, isto é, a pouca criatividade do professor e, consequentemente, a falta de dinamismo nas aulas. Professor, faça de sua aula algo interessante; seja criativo, invista tempo nisso. Criatividade e dinamismo são, em boa parte, o segredo do sucesso do professor eficaz.
É necessário que o professor da escola dominical veja seu trabalho como o ministério que Deus lhe deu e que, por isso mesmo, precisa ser realizado da melhor maneira possível. “... o que ensina, esmere-se no fazê-lo” (Rm 12.7).

Nenhum comentário:

Postar um comentário