sexta-feira, 3 de julho de 2015

Vendo o invisível

A mensagem de 2Reis 6.16,17

Ele respondeu: Não temas, porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles. Orou Eliseu e disse: SENHOR, peço-te que lhe abras os olhos para que veja. O SENHOR abriu os olhos do moço, e ele viu que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu.


Josivaldo de França Pereira

O rei da Síria, Ben-Hadade I, fez guerra a Israel e, em conselho com os seus oficiais, disse: “Em tal e tal lugar estará o meu acampamento”. Mas o profeta Eliseu mandou dizer ao (provavelmente a Jorão, filho de Acabe) rei de Israel: “Guarda-te de passares por tal lugar, porque os siros estão descendo para ali”.
Então, o rei de Israel ordenou suas tropas para o local que Eliseu lhe tinha avisado, e assim se salvou por mais de duas vezes. Turbado com este incidente, o rei da Síria chamou os seus servos e lhes disse: “Não me fareis saber quem dos nossos é pelo rei de Israel?”. Um deles respondeu: “Ninguém, ó rei, meu senhor; mas o profeta Eliseu, que está em Israel, faz saber ao rei de Israel as palavras que falas na tua câmara de dormir”.
Ciente deste fato inusitado e sabedor de que Eliseu se encontrava na cidade israelita de Dotã, Ben-Hadade envia seu exército para capturar o profeta. Chegaram de noite e cercaram a cidade. Tendo-se levantado muito cedo o jovem auxiliar de Eliseu, ao sair de dentro de casa notou que tropas, cavalos e carros haviam cercado a cidade. Muitíssimo apavorado, o moço lhe diz: “Ai! Meu senhor! Que faremos?”.
O que segue é uma das mais belas demonstrações de fé relatadas na Bíblia: “Ele respondeu: Não temas, porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles. Orou Eliseu e disse: SENHOR, peço-te que lhe abras os olhos para que veja. O SENHOR abriu os olhos do moço, e ele viu que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu”.
Neste capítulo 6 do segundo livro dos Reis temos três orações do profeta Eliseu. Na primeira ele ora a Deus para que o seu moço veja além da dimensão física, ou seja, para que Deus lhe desse visão espiritual. Na segunda o profeta pede que o exército inimigo fique fisicamente cego e depois roga para que eles pudessem enxergar de novo.
Com Eliseu aprendemos que não devemos temer nenhuma força adversa contrária a nós se o Senhor estiver ao nosso lado. Que o favor divino e seu socorro vão além dos problemas que os nossos olhos carnais possam contemplar. E, finalmente, devemos viver pela fé sempre, contemplando o invisível como fizeram os heróis e heroínas que serviram o Senhor no passado. Acerca de Moisés, por exemplo, a Bíblia declara: “Pela fé, ele abandonou o Egito, não ficando amedrontado com a cólera do rei; antes, permaneceu firme como quem vê aquele que é invisível” (Hb 11.27).
A Bíblia relata ainda que o monte de Dotã estava cheio de cavalos e carros de fogo em redor de Eliseu. Deus protegeu seu servo fiel contra a fúria embravecida do adversário. É como diz o salmista: “O anjo do SENHOR acampa-se ao redor dos que o temem e os livra” (Sl 34.7).  “Em tempos de provação, existem sempre bastante proteção e auxílio divino disponíveis para o povo de Deus” (Donald Wiseman), cf. Sl 91.11; At 7.56; Rm 8.31.
Marcante é a atitude final de Eliseu com os soldados da Síria. Ao guiá-los até Samaria (cerca de 17km ao sul de Dotã) ele não permitiu que o rei de Israel lhes fizesse mal nenhum, mas que os alimentassem com pão e água e, depois, retornassem seguros para a Síria. Coisa de gente de Deus!
O rei de Israel ofereceu-lhes grande banquete. Após comerem e beberem despediu-os e foram para seu senhor. E da parte da Síria não houve mais investidas na terra de Israel.[1] Pagar o mal com o bem é a melhor saída em todas as épocas! (cf. Gn 50. 19-21; Mt 5.43-48; Rm 12.17-21).



[1] Não existe contradição entre os versículos 23 e 24 de 2Reis 6. A seção que começa em 2Reis 6.24 pode não estar diretamente relacionada com os eventos anteriores. Ben-Hadade era o nome do trono sírio, como Faraó para os egípcios e César para os romanos. O Ben-Hadade de 2Reis 6.8-23, conhecido como Ben-Hadade I (ou II conforme alguns estudiosos), de fato não tornou a invadir Israel. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário