quarta-feira, 1 de junho de 2016

Zacarias, filho de Baraquias ou de Joiada?

Josivaldo de França Pereira

Somente Mateus e Lucas relatam a seguinte declaração de Jesus: “para que sobre vós recaia todo o sangue justo derramado sobre a terra, desde o sangue do justo Abel até ao sangue de Zacarias, filho de Baraquias, a quem matastes entre o santuário e o altar” (Mt 23.35; cf. Lc 11.50,51a).
O contexto da referida passagem bíblica são os vários ais ditos por Jesus contra os escribas e fariseus hipócritas (Mt 23.13-36; “interpretes da lei” em Lc 11.46-52). Em Mateus 23.34 (cf. Lc 11.49) o Mestre diz: “Por isso, eis que eu vos envio profetas, sábios e escribas. A uns matareis e crucificareis; a outros açoitareis nas vossas sinagogas e perseguireis de cidade em cidade”. O versículo 35 (cf. Lc 11.50,51a) é, portanto, a sentença específica para o verso anterior (cf. Lc 11.49) e o versículo 36 a sentença geral de toda perícope: “Em verdade vos digo que todas estas cousas hão de vir sobre a presente geração” (cf. Lc 11.51b).
A história de Zacarias e sua trágica morte entre o santuário e o altar encontram-se registradas em 2Crônicas 24.20,21. O rei Joás, depois que o pai de Zacarias morreu, desviou-se severamente dos caminhos do Senhor, juntamente com todo povo, servindo a idolatria. Deus se irou muito contra Judá e Jerusalém, porém, enviou profetas para reconduzi-los a si. Mas o povo não deu ouvido (cf. 2Cr 24.17-19).
O Espírito de Deus se apoderou de Zacarias, filho do sacerdote que cuidou de Joás até o fim, o qual advertiu o povo em nome do Senhor (cf. 2Cr 24.20). Contudo, “Conspiraram contra ele e o apedrejaram, por mandado do rei, no pátio da Casa do SENHOR” (2Cr 24.21). Pouco antes de morrer, Zacarias disse: “O SENHOR o verá e o retribuirá” (2Cr 24.22). Cerca de 600 anos depois o Deus que tudo vê retribuía à rebelde geração dos judeus a profecia de Zacarias na pessoa de Cristo (cf. Mt 23.29-36; Lc 11.47-51). “... Jesus na verdade cita esse incidente ao pronunciar o mesmo juízo sobre seus contemporâneos (cf. Mt 23.33-36; Lc 11.47-51)”.[1] E como fariam igual com os profetas e apóstolos, sábios e escribas que o Senhor enviaria (cf. Mt 23.34; Lc 11.49), no ano 70 d. C. Jerusalém cai em meio a indescritíveis horrores.
Por que nosso Senhor disse que seria requerido todo o sangue justo derramado sobre a terra, desde o sangue do justo Abel até ao sangue de Zacarias? Sabemos que a história do justo Abel se encontra no primeiro livro da Bíblia, o Gênesis (Gn 4.1-7). A de Zacarias, como vimos, acha-se no segundo livro das Crônicas. Pois bem, Jesus está citando a Bíblia hebraica que começa em Gênesis e termina em Crônicas. Na Bíblia moderna o Antigo Testamento termina em Malaquias. Ela segue o conteúdo da Bíblia hebraica, mas a ordem e disposição dos livros, como conhecemos hoje, são as da Septuaginta e da Vulgata Latina, com exceção dos livros apócrifos, no caso da Bíblia protestante. Na passagem de Mateus 23.35 e Lucas 11.50,51, Jesus está dizendo, portanto, que todos os justos de Deus mortos por pessoas que se rebelaram contra o próprio Deus, desde o primeiro livro da Bíblia (Gênesis) até o último (Crônicas, o último livro da Bíblia até então), seriam vingados.
Entretanto, o texto de Mateus 23.35 afirma que Zacarias é filho de Baraquias[2], enquanto que em 2Crônicas 24.20,22 ele é filho de Joiada. Na verdade, o Zacarias filho de Baraquias (ou Berequias) é o profeta-autor do penúltimo livro do Antigo Testamento (Zc 1.1).
As três principais soluções existentes para este conflito são: (a) O pai do Zacarias assassinado tinha dois nomes: Joiada e Baraquias (Lutero). (b) Como ocorre com frequência nas Escrituras, “pai” pode significar “avô” (Grosheide). (c) Numa das primeiras cópias do Evangelho de Mateus, um copista que tinha em mente o nome do pai do profeta menor inseriu erroneamente, e sem nenhum fundamento, a expressão “filho de Baraquias” (Ridderbos). Jesus jamais cometeria esse equívoco por sua perfeição (cf. 1Pe 2.22), e nem mesmo Mateus por sua inspiração (cf. Jo 14.26).
Concluo fazendo minhas as palavras do Dr. Hendriksen: “Qualquer das três [soluções] poderia ser correta. Contudo, com Ridderbos creio que c é a solução mais simples”.[3]






[1] Martin J. Selman, 1 e 2Crônicas: Introdução e Comentário. Série Cultura Bíblica. São Paulo: Vida Nova, 2008, p. 366.
[2] O Evangelho de Lucas omite a filiação de Zacarias (cf. Lc 11.51).
[3] Guillermo Hendriksen, Comentário del Nuevo Testamento: Mateo. Grand Rapids: SLC, 1986, p. 880. Para outras sugestões, consulte Russell N. Champlin, O Novo Testamento interpretado versículo por versículo. Vol. 1. São Paulo: Hagnos, 2002, p. 551-53. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário